Ads Top

Ciúme às vezes é doença: saiba como identificar e tratar



Sentir ciúme é normal em todas as pessoas que estão apaixonadas e, na dosagem certa, pode ser um estímulo a mais, uma forma de proteger o relacionamento. Mas se começa a acontecer perda da liberdade de um dos envolvidos ou problemas na vida profissional ou familiar, é porque, possivelmente, o ciúme está passando dos limites e pode até mesmo levar ao término da relação.

A psicóloga clínica Andrea Lorena explica que geralmente as pessoas sentem ciúme quando percebem que o relacionamento está sendo ameaçado. O problema é que a ameaça nem sempre é real e pode ser apenas uma fantasia. Além disso, está relacionado à insegurança e baixa autoestima.

Tipos de ciúme patológico

Segundo ela, existem dois tipos de ciúme patológico:

Ciúme Obesssivo

"A pessoa tem crítica, consegue perceber quando questionada que sua reação foi exagerada e muitas vezes consegue perceber que não houve motivos reais para o ciúme", explica.

Ciúme Delirante

"A crítica está prejudicada e o ciumento não consegue enxergar que o ciúme faz parte de um quadro delirante, fantasioso, mesmo quando questionado por terceiros.Para lidar com esta emoção, os parceiros precisam ter conversas francas e sem ataques verbais', onde os sentimentos de ambos possam ser aceitos e esclarecidos. É importante perceber quando o ciúme começa a ficar exagerado e manter uma boa comunicação com o parceiro", orienta.

Casos de ciúme na novela

O personagem Laerte tem um comportamento doentio em relação à namorada Luiza (Crédito: Rede Globo)
Um exemplo desse ciúme doentio acontece na novela "Em Família", na qual o personagem Laerte (Gabriel Braga Nunes) vive tentando controlar a vida da noiva, Luiza (Bruna Marquezine) e chega a ter um comportamento agressivo quando desconfia que ela possa estar fazendo algo de errado. O mesmo comportamento patológico fez com que, no passado, o personagem enterrasse vivo o seu então rival, Virgílio (Nando Rodrigues / Humberto Martins), depois de deixá-lo desacordado com uma surra e julgar que estivesse morto.
“Geralmente o ciumento excessivo tem muitos pensamentos obsessivos (constantes), acerca da infidelidade do parceiro, sentimentos intensos como raiva, tristeza e ódio, assim como pode apresentar comportamentos extravagantes, como seguir o parceiro, cheirar roupas em busca de vestígios de relações sexuais, agredir fisicamente, inspecionar celulares e contas de cartão de crédito, entre outros”, afirma a psicóloga.

Ciúme tem tratamento?

Buscar orientação profissional é importante para conseguir controlar o ciúme. Se é o caso do seu parceiro, conversar para fazê-lo enxergar que precisa de ajuda pode ser o começo da solução. A psicóloga diz que existe tratamento psicoterapêutico, principalmente na abordagem cognitivo comportamental. "O tratamento é realizado em sessões tanto individuais, quanto em grupos. Durante as sessões, são trabalhadas questões como autoestima e segurança emocional”, finaliza.




fonte:http://www.bolsademulher.com/amor/ciume-vezes-e-doenca-saiba-como-identificar-e-tratar
Tecnologia do Blogger.